Confira uma lista com os dez mandamentos em marketing pessoal

O marketing pessoal é quesito cada vez mais importante na hora de se avaliar um profissional. Não adianta ser eficiente, competente e habilidoso se você não souber usar ferramentas a seu favor e em benefício de sua carreira. Quem é bom em marketing pessoal consegue aparecer sem ser chato e chamar a atenção da chefia sem puxar o saco.
Imagem
Quer aprender a ter um bom marketing pessoal? A seguir, listamos dez mandamentos para você seguir:
Liderança
É muito importante ter a habilidade de influenciar outras pessoas, seja por persuasão ou pela confiança que a pessoa inspira nos colegas. Não basta apenas “saber manda”. É necessário ouvir as pessoas e aceitar seus próprios erros.

Confiança
Seja uma pessoa que as demais buscam para ter segurança, conforto nas palavras e admiração. É importante que seus colegas de trabalho sintam que você estará lá por eles.

Visão
Entenda o que você está fazendo e por que está fazendo isso. É fundamental sugerir mudanças para melhorar seu trabalho ou o dos colegas.

Espírito de equipe
Ofereça ajuda aos colegas sem que ninguém peça. Tenha como meta sempre o bem de todos e do ambiente de trabalho como um todo.

Maturidade
Saiba solucionar conflitos sem criar mais conflitos. É muito importante conseguir analisar cada situação, tentar compreendê-la e tomar uma atitude consciente.

Integridade
Faça seu trabalho sem prejudicar os outros. Seja ambicioso, mas não ao ponto de atropelar quem cruzar seu caminho.

Visibilidade
Tenha uma visão de futuro e saiba onde você quer chegar em sua carreira. Esteja ligado a tudo o que acontece na empresa e tenha boa vontade para aprender sempre.

Empatia
Saiba reconhecer o trabalho dos outros e elogiá-lo. Além de gratificante para o trabalho das pessoas mostra seu interesse pelo desenvolvimento dos profissionais.

Otimismo
Aprenda a lidar com as piores situações da melhor forma. É difícil, mas tentar enxergar um lado positivo nas piores situações é fundamental para se prosperar.

Paciência
Sem ela não conseguimos ir longe, sem dúvida. Aprenda a contar até dez em vez de explodir e tomar atitudes inesperadas. Analise os fatos antes de tomar decisões muito importantes.
Fonte: Extraído de Love Mondays

GOSTOU? Então deixe seu comentário abaixo!

10 dicas para conversar melhor

Vivemos em um mundo cada vez mais conectado. Já há algum tempo, a tecnologia é usada como principal recurso social, onde as pessoas têm liberdade para expor suas ideias sobre diversos assuntos.

Sem dúvidas, a internet nos trouxe acesso às mais criativas ferramentas em um nível nunca antes alcançado. Mas, falando sobre relacionamento interpessoal, ser capaz de manter uma conversa coerente e leve é uma característica muito positiva – inclusive nas relações de trabalho. É importante trocar experiências de vida, ouvir o que outras pessoas têm a dizer e, de fato, conversar.

Celeste Headlee, jornalista conceituada, com uma sólida carreira na área de comunicação e atualmente apresentadora do talk show “One Second Thought”, criou uma lista – que vai além do clássico olhar nos olhos e balançar a cabeça – com 10 dicas para conversar melhor. Confira:

1 – Esteja presente

Mais do que cumprir uma série de regras para mostrar que você está prestando atenção em uma conversa, é importante estar ali, naquele momento, conversando com outra pessoa. Pode parecer bobagem, mas faz diferença se manter concentrado no outro.

2 – Não dê lição de moral

Segundo Bill Nye, famoso cientista educacional, “todos que você vai conhecer na sua vida sabem algo que você não sabe”. Em resumo, você não precisa provar uma teoria toda vez que entrar em uma conversa. Parta do princípio de que todos nós temos algo a aprender.

3 – Faça perguntas abertas

A dica é bem simples: se você fizer uma pergunta direta, vai receber uma resposta evasiva. Portanto, faça perguntas mais profundas, como “como foi passar por isso?” ou “como você reagiu a essa situação?”. Esse tipo de questionamento faz com que as pessoas se sintam à vontade para compartilhar suas experiências.

4 – Deixe fluir

Quem nunca assistiu a um entrevistador na TV fazendo uma pergunta que parece que veio do nada? Isso acontece porque, às vezes, a gente se apega a uma boa pergunta e simplesmente deixa de ouvir. Pensamentos vão vir à sua mente e você só precisa relaxar.

5 – Se você não sabe, apenas diga

Seja honesto com os outros e, principalmente, com você. A grande graça de conversar é poder trocar ideias e descobrir coisas novas.

6 – Não compare experiências

Todos nós sentimos e reagimos às situações de forma completamente diferente. As experiências nunca são as mesmas. Com isso em mente, o exercício de ouvir fica bem mais fácil.

7 – Não seja repetitivo

Na tentativa de fazer valer nosso ponto de vista, acabamos sendo repetitivos. Apenas deixe esse mau hábito de lado.

8 – Evite os detalhes desnecessários

Não, as pessoas não ligam para nomes, datas e detalhes desnecessários. Ao contar uma história, atenha-se ao que realmente importa.

09 – Ouça

Saber ouvir é uma característica vital não apenas para conversar melhor, mas para evoluir. Se você não está ouvindo, provavelmente não está aprendendo muita coisa.

10 – Seja breve

Uma boa conversa dura o tempo que precisa durar. Nada mais, nada menos. 😉

Este artigo foi inspirado no TED Talk “10 ways to have a better conversation”.

Fonte: Extraído de Love Mondays

GOSTOU? Então deixe seu comentário abaixo!

Não se sente bom o suficiente? Pode ser culpa da síndrome do impostor

Sabe aquela insegurança que parece estar sempre presente para nos “lembrar” que aquela grande oportunidade na carreira foi um golpe de sorte ou, pior do que isso, que em algum momento você será desmascarado e todos vão perceber que você é uma fraude? Não é só você. Quase todo mundo já foi vítima da chamada síndrome do impostor.

Para muitos, o ditado fake it, until you make it – em português: finja, até que você consiga, se tornou uma estratégia de carreira. Parece estranho, certo? Essa frase pode ser interpretada de duas formas:

1 – Mesmo que você não esteja completamente apto a fazer algo, você se esforça para manter uma postura confiante, até que você consiga desenvolver as habilidades que precisa.

2 – Você absorve mais responsabilidades do que de fato tem capacidade de entregar no intuito de se mostrar ser mais capaz do que realmente é.

Existe uma linha tênue que diferencia os dois pontos: de um lado, você não transparece insegurança frente a um desafio e do outro…bem, você tem uma atitude reativa frente à responsabilidades que ainda não está preparado para assumir.

Não existe problema algum em expressar que se não se sente confortável com alguma tarefa e dizer que precisa estudar suas possibilidades. O problema está quando você simplesmente não acredita que seja suficientemente bom em nada ou, ainda, que só sustenta a posição que tem por estar muito bem disfarçado no seu dia a dia. É como se você inserisse uma neblina em todas as suas conquistas. Essa percepção gera um forte impacto negativo na forma que você se enxerga e, consequentemente, na forma que as pessoas ao seu redor enxergam você. É um ciclo vicioso.

É importante ressaltar que essa condição afeta até mesmo os profissionais mais experientes. Portanto, ela pode não te impedir de progredir. Para te ajudar a identificar se está passando por este cenário, tente fazer as seguintes perguntas:

Você tem dificuldades em aceitar elogios?
Você vive se comparando e achando que seus colegas são mais capacitados?
Novas responsabilidades te deixam apavorado?
Se você respondeu sim para todas as perguntas, é hora de repensar sua carreira e buscar ajuda para enxergar suas reais habilidades. Pode parecer bobagem, mas acreditar no seu potencial pode ser a peça que faltava para sua carreira deslanchar!

Fonte: Extraído de Love Mondays

GOSTOU? Então deixe seu comentário abaixo!